“Lar Verde Lar”

Boa parte da degradação do nosso planeta está relacionada com os nossos hábitos de consumo. Tudo o que deitamos ao lixo fica em algum ponto do planeta e por vezes demora séculos para ser degradado pela natureza. Reduzir o desperdício é fundamental para ultrapassarmos a crise ambiental que vivemos. A mudança deve começar dentro das nossas próprias casas através das nossas acções e escolhas. Bea Johnson a fundadora do Movimento internacional “Zero Waste Home” no seu livro “Desperdício Zero: simplifique a sua vida reduzindo o desperdício”, partilha 5 passos fáceis para eliminar os desperdícios: recusar aquilo que não precisamos, reduzir aquilo que efectivamente precisamos, reutilizar aquilo que consumimos, reciclar o que não podemos recusar, reduzir ou reutilizar e compostar tudo o resto. Assim, há muitas coisas que podemos fazer para tornar a nossa casa mais ecológica e contribuir para um mundo mais sustentável. Deixamos-vos algumas dicas:

Cozinha & Despensa

– O momento das compras é perfeito para começarem a vossa prática ecológica: optem por produtos de agricultura biológica (cultivados sem recurso a químicos de síntese); visitem os mercados biológicos* onde podem comprar frutas e legumes sazonais, farinhas, etc. a granel, directamente do produtor e lembrem-se de levar os vossos sacos reutilizáveis (algumas opções aqui);

– Sempre que possível substituam o plástico por materiais ecológicos: usem copos de vidro em vez de copos descartáveis, mesmo no ambiente de trabalho (levem o vosso copo de casa e inspirem os vossos colegas a fazerem o mesmo); Se costumam levar o vosso almoço ou lanche de casa optem por embalá-lo em recipientes de vidro, marmitas em inox ou bolsas em algodão bio; os invólucros abeego também são perfeitos para embalar alimentos;

(créditos imagens: @abeego; @keepcup; @fluf; @ecobrotbox)

– Se a embalagem de plástico for inevitável procurem reutilizá-la, por exemplo, como material para as crianças brincarem – estimulem a consciência ambiental dos vossos filhos, dando uma nova vida a objectos que, de outra forma, seriam considerados lixo;

– Optem por produtos de limpeza ecológicos, com o menor impacto ambiental possível e/ou façam os vossos próprios produtos com ingredientes da vossa despensa (vinagre, sal, limão, bicarbonato…vejam algumas receitas aqui); optem por utensílios de limpeza reutilizáveis e biodegradáveis (panos laváveis, escovas em madeira com cerdas de fibras naturais, etc.);

– Deixem a loiça de molho antes de a lavar e aproveitem a água de lavar os legumes para regar as plantas;

– Evitem a utilização de película aderente, optem por soluções mais amigas do ambiente (e da saúde) como por exemplo os invólucros de cera de abelha; estes são reutilizáveis e feitos apenas com ingredientes naturais;

– Experimentem as nozes de saponária para lavar a roupa e o vinagre para amaciar e ajudar a fixar as cores;

(créditos imagem:@drbronners_australia; @abeego @anagoslowly; @lixozeroportugal)

Casa-de-banho

– Prefiram produtos de cosmética biológica (com ingredientes suaves para nós e para o ambiente) e/ou façam os vossos próprios produtos (encontram várias receitas aqui);

– Enquanto a água do banho aquece aproveitem para encher bacias que depois podem ser utilizadas para descargas do autoclismo ou para o jardim;

– Optem por escovas de dentes ecológicas (com o cabo em bambu ou amido de milho) e fechem a torneira da água enquanto estão a lavar os dentes;

– Mais uma vez optem por produtos de limpeza ecológicos e/ou façam os vossos próprios produtos;

– Para a higiene íntima feminina, experimentem o copo menstrual reutilizável;

(créditos imagens: @myboocompany; @realfoodagenda; @drbronners_australia; @lunetteportugal)

– Os discos reutilizáveis, as esponjas naturais (konjac ou luffa) ou as escovas de cerdas naturais são uma alternativa mais ecológica às esponjas sintéticas ou aos discos descartáveis;

– Aproveitem as sobras de tecidos ou reaproveitem roupa velha, para fazer lenços de pano para assoar o nariz, toalhetes reutilizáveis (saiba como aqui), panos laváveis para a limpeza…

– Bem-estar: reúnam ingredientes naturais no vosso “estojo” de remédios caseiros (óleos essenciaissaibam quais os 5 óleos essenciais indispensáveis para o kit naturalóleos vegetais, argila, sais de epsom … vejam estas receitas de pomadas caseiras para aliviar dores e para aliviar a tosse e constipações, ou procurem alternativas naturais na vossa despensa: por exemplo: sementes de funcho ou folhas de hortelã para ajudar a melhorar a digestão (mais sugestões aqui); o gengibre para as náuseas; o cravinho para a dor de dentes; a infusão de camomila para ajudar a relaxar, a infusão de tomilho para a tosse e constipação etc

Quartos

– Evitem fibras sintéticas. Prefiram lençóis e roupa de dormir em algodão biológico;

– Tenham uma planta que purifique o ar;

– No armário/guarda-roupa optem por saquinhos de alfazema e cravinho em vez de naftalina para proteger a roupa;

– Para espantar os mosquitos, difundam óleo essencial de citronela (ou outros óleos com propriedades repelentes – mais sugestões aqui);

Jardim & Quintal

– Não utilizem químicos de síntese; prefiram soluções naturais;

– Optem pela baixa manutenção: selecionem plantas que não necessitem de ser podadas com frequência, espalhem húmus ou folhas de árvores sobre o solo uma vez por ano, borrifem com vinagre as ervas daninhas…etc (1).

__________ . ___________

Mais dicas na página de facebook  Zero Waste Portugal – Lixo Zero  e no livro da Bea Johnson (ver bibliografia).

*Em Braga, no Mercado do Carandá, ocorre semanalmente, a Feira de Produtos Biológicos (sábados das 9h-12h30)

Bibliografia:

(1) Bea Johnson, 2016, desperdício zero: simplifique a sua vida reduzindo o desperdício em casa. Editorial Presença

(2) Luci Ayala, lar verde lar: comece a preservar a natureza dentro da sua própria casa. Revista Saúde, Dezembro de 1992

 

Abeego: uma solução prática e sustentável para embrulhar e preservar alimentos

Abeego é um invólucro reutilizável feito de cânhamo e algodão embebido em cera de abelha óleo de jojoba e resina, que protege os alimentos deixando-os respirar e mantendo-os frescos. É uma alternativa ecológica à película aderente, aos sacos de plástico com fecho e às folhas de alumínio permitindo embrulhar e preservar os alimentos. É maleável e ligeiramente aderente pelo que pode ser facilmente ajustado aos recipientes ou dobrado.

Pode ser utilizado para:

  • Cobrir recipientes com alimentos ou proteger restos de comida no frigorífico;

  • Para embrulhar sandes ou lanches, mantendo a sua frescura;

  • Preservar os alimentos cortados

  • Para conservar o pão

  • e até pode ser moldado como um saco para guardar os seus legumes:

Para mais informações sobre as diferentes formas de utilização, visite o canal youtube da marca

Como cuidar do seu Abeego:

Lave o seu invólucro abeego com água fria como se fosse um prato (ou passe um pano húmido). Se necessitar, poderá utilizar um sabonete natural e ecológico como por exemplo o sabonete da Dr. Bronner. Deixar secar ao ar.

Quando não precisar de utilizar o seu abeego, enrole-o e arrume-o num local fresco ao abrigo do calor. Também poderá mantê-lo liso, arrumando-o entre duas tábuas de corte.

O abeego pode durar até um ano com os cuidados adequados. No final da sua vida útil pode ser compostado.

Como tudo começou:

Toni Desrosiers, uma nutricionista preocupada com questões ambientais e de saúde, criou os abeego em 2008 no Canadá. Naquela altura os meios de comunicação social tinham começado a divulgar os perigos do BPA e, no seu local de trabalho, muitas mães começaram a perguntar-lhe como poderiam embrulhar os lanches dos filhos sem recorrerem ao plástico. Toni começou por fazer uma pesquisa sobre como eram conservados os alimentos antes de existirem invólucros de plástico e descobriu duas características comuns: todas as soluções eram naturais e respiráveis. Depois de um longo processo de tentativas e erros criou finalmente os abeego, utilizando apenas materiais naturais cujas propriedades ajudam a preservar os alimentos.

Vantagens:

  • A cera de abelha tem propriedades anti-bacterianas, ajudando a conservar os alimentos e reduzindo desperdícios
  • É natural e respirável agindo de forma semelhante à casca dos alimentos, mantendo-os frescos
  • É biodegradável e compostável
  • É lavável e reutilizável

Outras informações:

  • O abeego não deve ser utilizado para embrulhar directamente ananás ou carne crua;
  • É adequado para cobrir recipientes com alimentos fermentados (yogurte, kéfir, etc);
  • Pode ser utilizado para conservar alimentos no congelador durante um curto período de tempo (não mais de um mês);
  • Todos os materiais utilizados são naturais e os alimentos muito pigmentados poderão manchar o seu abeego;
  • Em contacto com o calor a cera de abelha derrete pelo que não deve utilizar o abeego no forno, microondas…este também não deve ser lavado em água quente ou colocado na máquina de lavar loiça; deixe os alimentos arrefecerem antes de os cobrir com o abeego
  • Recomendamos que não corte o seu abeego (a menos que considere estritamente necessário). O abeego é mais funcional no seu tamanho original. É a sua antiga relação com o plástico que o faz pensar que precisa de cortar o seu abeego para que este tenha o tamanho exacto do recipiente/alimento. Lembre-se que terá o seu abeego por um longo período de tempo e mantendo-o no seu tamanho original permitir-lhe-à criar várias formas e utilizá-lo repetidamente. Caso decida cortar o seu abeego utilize uma tesoura muito afiada para obter um corte limpo.

Créditos imagens: Abeego