Afaste os mosquitos com soluções naturais

Certas plantas têm componentes repelentes, como por exemplo, a hortelã-pimenta, o alecrim, a citronela, a alfazema, o manjericão. Poderá encher recipientes com algumas destas ervas e colocá-los ao pé das janelas; outras sugestões: adicionar algumas gotas de óleo essencial de alfazema ou citronela a pedaços de algodão e espalhar pela casa ou pendurar raminhos destas ervas em diferentes locais da casa; A difusão de óleos essenciais repelentes também é uma boa opção.

Limão com cravinho – cortar um limão ao meio, espetar vários cravinhos e colocar próximo das janelas.

Vela de Citronela Bio

Notas: para 50 ml de cera colocar cerca de 20 gotas de óleos essenciais, para 100 ml cerca de 40; Também poderá utilizar outros óleos essenciais repelentes, por exemplo, hortelã-pimenta,  eucalipto, etc.

Procedimento:

Derreter a cera de abelha em banho-maria (lume brando).

Mergulhar o pavio na cera, retirar (com a ajuda de uma espátula) e colocar numa folha de papel vegetal, esticar e/ou endireitar o pavio e deixar secar (todo este processo ajuda o pavio a manter-se direito, torna a vela mais fácil de acender e ajuda-a a queimar mais lentamente). Quando o pavio estiver seco, colocá-lo no ilhó e apertar a base (saiba mais aqui).

Poderá colocar o ilhó com o pavio no centro do copo ou então colocar o pavio entre dois paus, prender com fita-cola e depois colocar no centro do copo.

Quando a cera estiver derretida, retirar do calor e ir mexendo. Adicionar o óleo essencial de citronela, mexer bem e despejar a mistura no copo/frasco (esta não deve estar nem muito líquida nem muito espessa). Deixar solidificar.

Spray Repelente Natural

Vai precisar de:

Procedimento:

Com a ajuda de um funil, deitar a glicerina no frasco spray, adicionar os óleos essenciais e agitar. Adicionar água até encher o frasco. Agitar bem. Aplicar sempre que necessário.

 

Dicas para melhorar a qualidade do ar interior

De acordo com os estudos realizados pela EPA (Agência de Protecção Ambiental Americana), a poluição do ar dentro de uma casa ou de um escritório pode ser 2 a 5 vezes superior à do ar de uma rua (1), podendo contribuir para vários problemas de saúde. A EPA classificou a poluição do ar interior entre os cinco principais riscos ambientais para a saúde pública (1).

Entre as principais fontes de poluentes, encontram-se os produtos químicos presentes em produtos que utilizámos todos os dias como por exemplo nos ambientadores e nos produtos de limpeza e higiene pessoal.

Propomos algumas dicas para melhorar a qualidade do ar interior:

  • Ter plantas que purifiquem o ar dentro de casa

Em 1989, a NASA publicou os resultados de um estudo (Interior Landscape Plants for Indoor Air Pollution Abatement) (2) que determinou quais as plantas mais indicadas para filtrar o ar num ambiente fechado. Durante a realização desse estudo foram considerados os poluentes mais comuns: benzeno, tricloroetileno e formaleído. Algumas das plantas estudadas e capazes de filtrar o ar foram: lírio da paz (Spathiphyllum “Mauna Loa”), crisântemos (Chrysanthemum morifolium), espada de São Jorge (Sansevieria trifasciata), hera inglesa (hedera helix), dracena (Dracaena marginata); Mais recentemente, em 2016, o Dr. Vadoud Niri da State University of New York apresentou os resultados de um estudo em que comparou a eficácia de cinco plantas de interior na remoção de oito poluentes do ar. Tal como já havia sido demonstrado em estudos anteriores (3), algumas plantas têm maior capacidade de remover certos poluentes do que outras, por exemplo, a dracena (Dracaena fragrans) foi a mais eficaz na absorção de acetona. A bromélia (Guzmania lingulata) foi a mais eficiente de todas, uma vez que conseguiu limpar 80% de seis dos oito poluentes testados num período de 12 horas (4). Como algumas plantas são mais eficazes a remover determinadas substâncias do que outras (3), a variedade é importante (5).

  • Arejar a casa para renovar o ar

Segundo a Deco, arejar a casa durante 10 minutos duas vezes por dia, mesmo no inverno, é a melhor forma de garantir um bom ambiente (6)

  • Substituir os ambientadores tóxicos por óleos essenciais ou outros ingredientes naturais para perfumar naturalmente a casa

Sugestões: adicionar algumas gotas de óleo essencial de limão a um borrifador com água. Agitar bem e borrifar esta mistura pelo ar. O óleo essencial de limão (citrus limonum) possui propriedades anti-sépticas, antibacterianas e desodorizantes. Devido a essas propriedades é útil  para desinfectar e desodorizar o ambiente; difusão de óleos essenciais: basta colocar algumas gotas de óleos essenciais purificantes num difusor; colocar cascas de citrinos e canela numa panela com água e levar ao lume, deixar ferver para que o aroma acolhedor se propague pela casa; colocar alfazema seca em pequenos sacos ou fazer pequenos ramos e colocar na casa de banho, nos armários e gavetas; fazer um difusor de ambiente ecológico (saiba como aqui).

Sugestões: as toalhitas de limpeza reutilizáveis são uma forma ecológica de limpar as bancadas, os azulejos e superfícies com ingredientes naturais e saudáveis. Veja como fazer as suas aqui; se preferir, faça o seu próprio líquido de limpeza multi-usospara limpar as carpetes e tapetes (que tendem a acumular partículas prejudiciais), misturar uma chávena de bicarbonato de sódio, 10 gotas de óleo essencial de limão e 10 gotas de óleo essencial de alfazema. “Polvilhar” as carpetes e os tapetes, deixar actuar durante 5 minutos e aspirar;  experimentar lavar a roupa com nozes saponárias: a casca destas nozes contém saponina (propriedades bactericidas) que ao entrar em contacto com a água se dissolve e cuja acção é semelhante à do sabão. Além de não poluírem a água ou o ambiente, são biodegradáveis (podem ser reutilizadas como fertilizantes nos vasos e canteiros).

(1) http://www.epa.gov

(2) https://ntrs.nasa.gov/archive/nasa/casi.ntrs.nasa.gov/19930073077.pdf

(3) https://en.wikipedia.org/wiki/NASA_Clean_Air_Study#Chart_of_air-filtering_plants

(4) https://www.acs.org/content/acs/en/pressroom/newsreleases/2016/august/selecting-the-right-house-plant-could-improve-indoor-air-animation.html

(5) http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/11/151127_plantas_poluicao_mdb

(6) Deco: ar interior dicas para melhorar

Créditos imagem: Eduard Militaru

As plantas medicinais e o sistema digestivo

Uma boa digestão é essencial para o bom funcionamento do organismo. Através do processo de digestão o corpo assimila e transforma os alimentos em energia necessária aos processos vitais. Se o nosso sistema digestivo estiver a funcionar mal pode haver um aumento de “bactérias e leveduras que fermentem os resíduos alimentares não digeridos, transformando-os em compostos reactivos”(4) que por sua vez podem ser reabsorvidos pelo organismo (auto-intoxicação).

Fortalecer e equilibrar o sistema digestivo para que os nutrientes sejam assimilados eficazmente é muito importante para a nossa saúde, especialmente nos dias de hoje devido ao stress e ao consumo de alimentos processados. Comer pausadamente, com a televisão desligada, mastigando bem os alimentos será uma grande ajuda, bem como, preferir alimentos de agricultura biológica. Outras sugestões:

  • Utilizar ervas-aromáticas e especiarias que auxiliem o processo digestivo: cardamomo, cravinho, gengibre, cominhos, açafrão-da-índia, orégãos, hortelã, salva, alecrim… Por exemplo, adicionar funcho, gengibre ou malvas às saladas melhora a digestão, bem como, comer durante a refeição (ou no fim) uma ou duas folhas de hortelã-pimenta. E sabiam que colocar segurelha na cozedura das leguminosas ajuda à sua digestão e evita a flatulência associada ao seu consumo?
  • Beber uma infusão de camomila, funcho, hortelã-pimenta, lúcia-lima ou gengibre antes ou após as refeições favorece a digestão.
  • Beber o chá Três anos (ou kukicha) melhora o funcionamento estomacal e intestinal e a bebida de kuzu (amido de uma raiz muito usada no Japão) fortalece o sistema digestivo.

Para aliviar náuseas, azia ou flatulência poderão utilizar as mesmas plantas referidas acima:

  • O gengibre alivia as náuseas e o enjoo do movimento, a hortelã-pimenta é tradicionalmente utilizada para aliviar as náuseas acompanhadas de dor de cabeça (ambas poderão ser utilizadas em infusão ou aplicar uma gota do óleo essencial num lenço ou bola de algodão e inalar) e a infusão de cidreira está indicada para náuseas devido a problemas emocionais.
  • As malvas e a camomila aliviam a azia.
  • As infusões de funcho, camomila, gengibre e hortelã-pimenta ajudam a combater a flatulência.

Em caso de indigestão além das infusões referidas acima, uma massagem na região abdominal com óleo essencial de camomila diluído num óleo base pode ajudar ou as cápsulas digestarom bio (com óleo essencial de hortelã-pimenta, limão, cardamomo e alcarávia)

Por vezes as pessoas têm dificuldade em digerir certos alimentos devido ao mau funcionamento do fígado e da vesícula biliar. A alcachofra e o dente de leão são plantas conhecidas pela sua eficácia nestes casos. A alcachofra ajuda a proteger o fígado e alivia a indigestão. A infusão de dente de leão é benéfica para os problemas de fígado e da vesícula biliar, estimula a produção de bílis e auxilia a digestão. É também utilizada para ajudar o organismo a eliminar toxinas. O dente de leão pode usar-se fresco em saladas.

Nota: Esta informação destina-se a fins educacionais e não substitui, de forma alguma, aconselhamento com um profissional de saúde.

Fontes consultadas:

(1) Amanda Ursell. Vitaminas e minerais

(2)  Andrew Chevalier. Enciclopédia de plantas medicinais

(3) Fernanda Botelho. As plantas e a saúde: guia prático de remédios caseiros

(4) Jennifer Harper. Desintoxicação do corpo, da mente e do espírito.

(5) Vicki Pitman. Fitoterapia: as plantas medicinais e a saúde

Créditos imagem: Martin Walls